domingo, 8 de março de 2015

Ilha Grande - A favorita!

    Algumas pessoas me questionam “Você só vai para Ilha Grande?”, “Por que não conhece outro lugar?”, “Não cansa não?”. Digo que é impossível cansar de um lugar tão perfeito e maravilhoso como Ilha Grande.




    Amo tanto, que separei uma página somente para ela. Nessa página do blog contarei o que cada praia, das suas 113 tem a oferecer, além da história que a cerca! Uma vez ao mês, um post será dedicado à minha favorita, Ilha Grande!
    Respondendo a pergunta “Não cansa não?”, explico porquê não! Ilha Grande ou “Ipaum Guaçu”, para os primeiros moradores da Ilha, os índios, é o refúgio ideal para quem procura praia, sol, natureza, águas cristalinas, tranquilidade e histórias, muitas histórias.
    A Ilha pertence ao município de Angra dos Reis, Rio de Janeiro e já foi visitada inclusive, pelo Imperador D. Pedro II em 1863, que registrou em seu diário de viagem seu encantamento pelo local, através de desenhos e textos. Em 1864 o Imperador adquiriu duas fazendas, que hoje refere-se as regiões de Abraão e Dois Rios. Na localidade do Abraão (antiga Fazenda do Holandês) foi construído o primeiro leprosário do país, batizado de Lazareto, neste local eram recebidos escravos e brancos doentes, principalmente com cólera e doenças contagiosas. Em 1893 foi construído um aqueduto, desviando a água do córrego de Abraão para o Lazareto. Atualmente as ruínas do antigo Lazareto e do Aqueduto fazem parte do cenário da Ilha Grande e tornou-se um dos pontos turísticos mais visitados da Ilha.



    As ruínas do Lazareto não é o único lugar que desperta a curiosidade dos visitantes da Ilha, em 1903, o Lazareto foi desativado e foi criado a Colônia Correcional de Dois Rios, os presos e leprosos foram transferidos para lá. Anos depois, quando o Presidente Getúlio Vargas assumiu o poder, a colônia foi usada como penitenciária para presos políticos, o escritor Graciliano Ramos foi um dos presos mais famosos que a Ilha recebeu. Em 1941 foi construído o presídio Cândido Mendes em Dois Rios, com capacidade para 600 detentos (a história de Dois Rios e do presídio contarei em outro post!). O presídio foi implodido em 1994 e atualmente só existem as ruínas do local, junto com suas histórias, moradores que fugiram, ex agentes penitenciários, entre outros. Em cada praia, em cada trilha, em cada estabelecimento comercial é possível encontrar alguém que tenha participado da história de Ilha Grande e tem satisfação de contar sua trajetória.
    Ir para Ilha Grande é sentir-se livre de tudo, livre da violência, livre da poluição, livre de engarrafamentos, livre da especulação mobiliária, livre de corrupção. É estar perto do ar puro, do mar, dos animais, é mergulhar sem preocupação, é renovar a alma, o corpo, a mente, o espírito!


Vamos ao que interessa, informações gerais da Ilha:

A área total da Ilha é de 193 km² e possui cerca de 7 mil habitantes (dados de 2010).

Onde ficar?

    A parte mais desenvolvida da Ilha é Abraão, lá você encontra hotéis, pousadas, hostels e campings dos mais variados tipos, restaurantes e estabelecimentos comerciais, como farmácia, mercadinho, souvenirs entre outros. Além de diversos passeios de barcos, que saem diariamente para lugares diferentes da Ilha, os preços variam de acordo com o roteiro e o tipo de embarcação utilizada. Basta escolher o que melhor se encaixa nas suas condições e aproveitar!
Se você não quiser ficar em Abraão, existem outros lugares com pousadas e campings, como Palmas, Provetá, Araçatiba, Bananal, Praia de Fora entre outras. Vale lembrar que nesses lugares existem pousadas e campings, mas NÃO existe uma variedade de estabelecimentos, uma estrutura maior e ampla para o turismo. Digamos que são lugares para quem gosta de se aventurar um pouco mais nas trilhas, curtindo o som da natureza e pretendendo gastar pouco.

Como chegar?

    Mangaratiba, Conceição de Jacareí e Angra dos Reis são os pontos de partida dos barcos em direção à Ilha Grande.
    De Mangaratiba é possível encontrar o serviço de barcas da CCR Barcas, a passagem custa R$ 14,00 e a viagem dura cerca de 90 minutos, somente para Abraão. Em Conceição de Jacareí existem escunas e lanchas, os preços e o tempo de viagem variam de acordo com as embarcações ( Lancha R$ 50,00/ 20 minutos; Escuna R$ 30,00/ 40 minutos) e o local da Ilha que pretende ir (Abraão ou Palmas). Em Angra também existe o serviço da CCR Barcas, somente para Abraão, além de lanchas, escunas e barcos. Algumas praias da Ilha só são possíveis o acesso para hospedagem por Angra, como Aventureiro, que necessita de uma autorização do INEA (Instituto Estadual do Ambiente), Araçatiba e Provetá.

O que fazer?

    Faça tudo o que quiser, desde de que seja legal e moral! Ande de barco, pratique Stand Up, faça trilha, mergulhe, pule do pier, beba, coma, fale, ouça histórias e compartilhe.

Vou gastar muito?

    Depende das suas prioridades. Se você acampar, trilhar e fizer sua própria comida vai gastar pouco. Mas se preferir ficar em um hotel mais confortável, comer fora todos os dias ou fazer diversos passeios de barco, sim você vai gastar, Ilha Grande é um ponto turístico, nem tudo são flores, e o preço das coisas nem sempre valem a pena.

    Esse post foi um resumão do que é Ilha Grande, como falei no começo, todo mês falarei de uma praia da Ilha, suas histórias, o que fazer e fotos, muitas fotos!!!




Fontes utilizadas:
http://www.ilhagrande.org/Ilha-Grande-Portal (Site OFICIAL de Ilha Grande)

Gostou do post? Deixa um comentário, uma sugestão!

Curta a página Laís Viaja no Facebook e siga @laisviaja no Instagram!

2 comentários:

Lu P. disse...

Excelente texto! Parabéns! Estou amando esse blog ;*

Alessandro Ferreira disse...

Muito bom, fiquei com vontade de ir !!!